Revista Portuguesa de Imunoalergologia

Arquivo RPIATodas publicações


  • Revisão crítica de um artigo científico 2016 Vol.XXIV, nº1

    EDITORIAL

    O processo de revisão crítica dos artigos cientí‑ ficos submetidos para a Revista Portuguesa de Imunoalergologia (RPIA) é uma tarefa que nem sempre é fácil, mas é essencial para a idoneidade desta revista científica.
    Amélia Spínola Santos1,

    Ingestão dos alimentos cozinhados na alergia alimentar ao leite de vaca e ao ovo 2016 Vol.XXIV, nº1

    ARTIGO DE REVISÃO

    O leite de vaca e o ovo são responsáveis pela maioria dos casos de alergia alimentar na infância. O processamen‑ to térmico dos alimentos pode alterar a sua alergenicidade e estão publicados vários estudos que investigaram a to‑ lerância ao leite de vaca e ao ovo cozinhados em doentes com alergia ou com sensibilização aos mesmos.
    Sónia Rosa1, , Filipa Ribeiro2, , Paula Leiria Pinto1,

    Importância da biópsia cutânea – Um caso clínico 2016 Vol.XXIV, nº1

    CASO CLÍNICO

    Introdução: As dermatoses constituem um desafio diagnóstico, abrangendo uma variedade de patologias que, frequentemente, têm apresentação clínica semelhante. A biópsia cutânea é um procedimento simples e rápido que permite realizar o exame histopatológico.
    Ana Moreira1, , Isabel Rosmaninho1, , José Pedro Moreira da Silva1,

    Hipersensibilidade a inibidores da bomba de protões – Um caso raro 2016 Vol.XXIV, nº1

    CASO CLÍNICO

    A hipersensibilidade aos inibidores da bomba de protões (IBPs) é rara, devendo ter‑se em conta a reatividade cruzada entre eles. Os autores descrevem um caso de hipersensibilidade tardia a todos os IBPs disponíveis em Portugal.
    José Pedro Almeida1, , Anabela Lopes1, , Manuel Pereira Barbosa2, 1,

    Pediatric eosinophilic esophagitis symptom scores (peess v2.0) identify histologic and molecular correlates of the key clinical features of disease. 2016 Vol.XXIV, nº1

    ARTIGOS COMENTADOS

    Este estudo procurou correlacionar as manifestações clínicas da esofagite eosinofílica (EE) es‑ truturadas em domínios de sintomas e avaliadas através do PEESS v2.0 (Pediatric Eosinophilic Esophagitis Symptom Score) com as características histopatológicas das biopsias esofágicas. Dada a dificuldade/disponibilidade da realização de endoscopias e biópsias seriadas, a utilização do índice PEESS v2.0 poderá representar uma nova e importante abordagem para a monitorização de doent
    Carmo Abreu1,

    Nocturnal gerd – a risk factor for rhinitis/rhinosinusitis: the rhine study 2016 Vol.XXIV, nº1

    ARTIGOS COMENTADOS

    A rinite não infeciosa (RNI) é um problema de saúde que afeta 40% da população. A associação entre rinosinusite crónica (RNSC) e doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) tem sido debatida nos últimos anos, sugerindo uma relação com a inflamação das vias áreas superiores na asma, laringite e tosse crónica.

    Ara h 2 and ara h 6 are the best predictors of severe peanut allergy: a double-blind placebocontrolled study 2016 Vol.XXIV, nº1

    ARTIGOS COMENTADOS

    No mundo ocidental a alergia a amendoim (AA) tem uma prevalência de 0,4 a 2% em crianças e adolescentes, provocando reações com risco de vida e interferindo nas várias atividades diárias.

    rApi m 3 and rapi m 10 improve detection of honey bee sensitization in hymenoptera venom-allergic patients with double sensitization to honey bee and yellow jacket venom. 2016 Vol.XXIV, nº1

    A dupla positividade dos testes cutâneos com veneno de abelha (VA) e veneno de vespa (VV) nem sempre refletem uma verdadeira dupla sensibilização, mas é causada frequentemente pela reatividade cruzada de anticorpos a sequências de péptidos homólogos presentes em ambos os venenos ou por reatividade cruzada de determinantes de carbo-hidratos (CCD) comummente presentes em glicoproteínas dos venenos de himenópteros.
    Rita Aguiar1,

    Estágio de alergia alimentar em idade pediátrica 2016 Vol.XXIV, nº1

    NOTÍCIAS

    O intercâmbio de conhecimentos técnicos e científicos a uma escala global é cada vez mais uma vertente essencial da prática clínica e científica dos dias de hoje. O meu interesse não só pela alergia alimentar, em particular, mas pela patologia alérgica em geral, nas faixas etárias pediátricas tem vindo a crescer ao longo do internato.
    Rita Aguiar1,

    VII Reunião de Imunodeficiências Primárias 2016 Vol.XXIV, nº1

    NOTÍCIAS

    Teve lugar no dia 26 de Fevereiro de 2016 na Biblioteca Almeida Garrett no Porto, a VII Reunião de Imunodeficiências Primárias (IDP) subordinada ao tema “Para além da infeção: autoimunidade, inflamação e diagnóstico neonatal”. A reunião foi promovida pelo GPIP (Grupo Português de Imunodeficiências Primárias), dirigido nos últimos dois anos pela Dra. Esmeralda Neves, diretora do Serviço de Imunologia do Centro Hospitalar do Porto. Teve por objetivo a divulgação, formação e
    Alexandru Ciobanu1,

    CALENDÁRIO DE REUNIÕES 2016 Vol.XXIV, nº1

    PRÉMIOS DA SPAIC 2016 Vol.XXIV, nº1