Revista Portuguesa de Imunoalergologia

Arquivo RPIATodas publicações


  • Uma missão, uma revista que nos orgulha 2019 Vol.XXVII, nº4

    Dirijo-vos estas últimas palavras como Editor da Revista Portuguesa de Imunoalergologia (RPIA), função que desempenhei com um enorme prazer, acompanhado de uma fantástica equipa do Conselho Redatorial e de redatores de excelência.

    Prova de provocação na hipersensibilidade não imediata aos antibióticos betalactâmicos com dose diária recomendada em dia único – Eficácia diagnóstica 2019 Vol.XXVII, nº4

    A prova de provocação oral (PPO) é considerada o gold standard no diagnóstico de hipersensibilidade aos betalactâmicos.

    Anafilaxia em Portugal: 10 anos de Registo Nacional da SPAIC 2007-2017 2019 Vol.XXVII, nº4

    A anafilaxia é a forma mais grave de doença alérgica; no entanto, a real prevalência em diferentes grupos populacionais é incerta por ausência de registos adequados desta entidade potencialmente fatal.

    Avaliação objetiva no diagnóstico de broncoconstrição induzida pelo exercício 2019 Vol.XXVII, nº4

    A broncoconstrição induzida pelo exercício (BIE) define- se como o aumento transitório da resistência das vias aéreas resultante da obstrução brônquica que ocorre após esforço físico.

    Gastrite e ileíte a citomegalovírus como primeira manifestação de imunodeficiência comum variável num adolescente 2019 Vol.XXVII, nº4

    Objetivo: Descrever o caso de uma imunodeficiência comum variável (IDCV) cuja primeira manifestação foi diarreia crónica por infeção gastrointestinal por citomegalovírus (CMV).

    Suberose: A propósito de um caso de pneumonia de hipersensibilidade aguda 2019 Vol.XXVII, nº4

    Homem de 32 anos, rabaneador numa corticeira desde há 15 anos. Observado em consulta por episódios recorrentes de tosse com expetoração mucopurulenta, pieira, sudorese, febre e mialgias com três anos de evolução.

    ARTIGOS COMENTADOS 2019 Vol.XXVII, nº4

    Os efeitos do omalizumab na alergia alimentar ainda não foram extensivamente estudados. Pretende-se, com este estudo, avaliar o seu efeito no limiar de tolerância aos alergénios alimentares, em crianças com alergia alimentar múltipla tratadas com este fármaco por asma grave.

    NOTÍCIAS 2019 Vol.XXVII, nº4

    Decorreu no passado dia 31 de agosto de 2019, em Barcelona a primeira reunião do Board Junior da EAACI para o triénio 2019-2021.

    PRÉMIOS SPAIC 2019 2019 Vol.XXVII, nº4

    Os doentes que reportam alergia às penicilinas tendem a evidenciar piores resultados clínicos e maior utilização dos cuidados de saúde, devendo ser alvo de avaliação diagnóstica. Contudo, preocupações com a segurança limitam a execução generalizada dos testes de provocação.

    PRÉMIOS REUNIÃO ANUAL SPAIC 2019 2019 Vol.XXVII, nº4

    CO 26 – Controlo da doença alérgica em indivíduos sob tratamento com imunoterapia específica subcutânea

    REGULAMENTO PRÉMIOS SPAIC 2019 2019 Vol.XXVII, nº4

    regulamento, premios spaic

    Editorial 2019 Vol.XXVII, nº3

    Reunião Anual da SPAIC 2019

    Este número da Revista Portuguesa de Imunoalergologia (RPIA) é dedicado à 40.ª Reunião Anual da SPAIC, este ano a decorrer no Palácio de Congressos do Algarve de 11 a 13 de outubro e com o tema “Alergia: uma patologia da família, uma família de patologias”.
    Mário Morais-Almeida, Elisa Pedro

    Tratamento sistémico do eczema atópico grave em idade pediátrica 2019 Vol.XXVII, nº3

    O eczema atópico (EA) é uma doença inflamatória crónica muito frequente em idade pediátrica. Na maioria dos casos o controlo clínico é alcançado com o recurso a hidratação adequada (emolientes) e a medicação tópica (corticosteroides tópicos, inibidores da calcineurina tópicos) embora exista um subgrupo de doentes com EA grave que não responde ao tratamento convencional ou que tem recidivas após a redução do mesmo. Quando não se verifica uma melhoria sintomática apesar de um
    Sónia Rosa1, , Maria João Sousa2, , Paula Leiria Pinto1,

    Prurido crónico – Da etiologia ao tratamento 2019 Vol.XXVII, nº3

    O prurido é uma sensação desagradável na pele que provoca o desejo de coçar, designando-se prurido crónico quando os sintomas têm uma duração superior a 6 semanas; é um sintoma muito incapacitante, afetando negativamente a qualidade de vida. Estima-se que cerca de 60% da população com idade igual ou superior a 65 anos sofra de prurido. Neste artigo, os autores fazem uma revisão da fisiopatologia, da etiologia, do diagnóstico e do tratamento do prurido crónico.
    Cristina Valente1, , Isabel Rosmaninho1,

    Questionário de Asma Grave: tradução para Português e adaptação transcultural para o seu uso em Portugal 2019 Vol.XXVII, nº3

    Traduzir e realizar uma adaptação transcultural do Questionário de Asma Grave (SAQ, do inglês Severe Asthma Questionnaire) para que possa ser usado como ferramenta para medir o impacto dos sintomas de asma na qualidade de vida e o impacto do tratamento da asma nos doentes com asma grave em Portugal.
    Vera Clérigo1, , Bárbara Cardoso2, , Lígia Sofia Fernandes1, , Christine Costa3, , Otília Garcia4, , Elza Tomaz2, , Filipe Inácio2,

    Urticária como síndrome paraneoplásica 2019 Vol.XXVII, nº3

    A urticária é uma doença complexa com etiologia multifatorial e pode constituir um episódio inaugural para uma condição maligna ainda desconhecida.
    Ana Margarida Mesquita1, , Alice Coimbra1, , José Luís Plácido1,

    Alergia a budesonido intranasal: Um suspeito incomum 2019 Vol.XXVII, nº3

    Mulher de 47 anos com história de rinite alérgica aos ácaros do pó da casa, medicada inicialmente com corticoide intranasal (CIN),
    Maria Luís Marques1, , Álvaro Machado2, , Inês Lobo2,

    Artigos Comentados 2019 Vol.XXVII, nº3

    Reações alérgicas à picada de himenópteros são um problema clínico global. Apesar de eficazes, os esquemas de imunoterapia para dessensibilização requerem a utilização de extratos de veneno dispendiosos, tal como múltiplas visitas hospitalares durante longos períodos de tempo.
    Robert Heddle, Anthony Smith, Richard Woodman, Pravin Hissaria, Nikolai Petrovsky

    Notícias 2019 Vol.XXVII, nº3

    Congresso Anual da EAACI Lisboa 2019, Realizou‑se em Lisboa, de 1 a 5 de junho, o Congresso Anual da EAACI 2019 com o tema “Mapping the New World of Allergy: Towards precision medicine in allergy and asthma”.

    Normas de Publicação 2019 Vol.XXVII, nº3

    A Revista Portuguesa de Imunoalergologia (RPIA) é o principal órgão oficial da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC) e assume‑se como a única revista científica portuguesa dedicada à publicação e divulgação de temas imunoalergológicos.

    Prémios SPAIC 2019 Vol.XXVII, nº3

    REGULAMENTO GERAL DOS PRÉMIOS DE INVESTIGAÇÃO E BOLSAS SPAIC – TRIÉNIO 2017-2019

    Editorial 2019 Vol.XXVII, nº2

    Direção da SPAIC

    Foi com profundo pesar que vimos partir recentemente dois ilustres Presidentes da SPAIC, o Professor Antero da Palma Carlos e o Doutor Celso Chieira, pioneiros da Imunoalergologia em Portugal.

    Biomarcadores de sensibilização primária e reatividade cruzada em doentes alérgicos a veneno de himenópteros 2019 Vol.XXVII, nº2

    A maioria dos doentes com alergia à picada de himenópteros apresenta dupla positividade (testes cutâneos-TC/IgE específica-sIgE) para veneno de abelha (A), vespa (V) e Polistes (P), constituindo um problema quer no diagnóstico quer na seleção para imunoterapia específica (IT).
    Letícia Pestana1, 2, , Alcinda Campos Melo1, , Manuel Pereira Barbosa2, 3, , Maria Conceição Pereira Santos1, 3,

    Relação entre doenças pulmonares obstrutivas e síndrome de apneia obstrutiva do sono 2019 Vol.XXVII, nº2

    A síndrome de apneia obstrutiva do sono (SAOS) é uma entidade frequente e vários estudos têm reportado a sua maior prevalência em doentes com doenças pulmonares obstrutivas crónicas. Objetivo: Caracterizar a relação entre estes dois grupos de patologias em adultos.
    Cristina Ornelas1, , Alexandra Carreiro2, , Rita Reis2, , Carlos Pavão2,

    Podemos melhorar o olfato na rinite alérgica? 2019 Vol.XXVII, nº2

    O olfato pode estar afetado na rinite alérgica (RA). Existem poucos estudos sobre a disfunção olfativa nesta patologia. Realizou-se um estudo piloto com o objetivo de avaliar a função olfativa em doentes com RA antes e depois do tratamento com duas opções farmacológicas diferentes
    Marta Martins1, , Cíntia Cruz1, , Sofia Farinha1, , Bárbara Cardoso1, , Mário Santos2, , Luís Antunes2, , Filipe Inácio1,

    Protocolo clínico de avaliação de doentes adultos com dermatite atópica em tratamento com Dupilumab 2019 Vol.XXVII, nº2

    A dermatite atópica (DA) é a patologia cutânea inflamatória mais frequente nos países desenvolvidos sendo frequentemente a primeira manifestação de doença alérgica. Surge habitualmente nos dois primeiros anos de vida, sendo que quando persiste na idade adulta tende a ser mais grave. A sua fisiopatologia é complexa envolvendo factores genéticos e ambientais
    Cristina Lopes1, 2, , Marta Neto3, , Frederico Regateiro4, 5, , João Marcelino3, , Célia Costa3, , Sofia Campina6, , Rita Aguiar6, , Anabela Lopes3, , Grupo de Interesse de Alergia Cutânea da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica6,

    Anafilaxia à gentamicina endovenosa: Um caso clínico 2019 Vol.XXVII, nº2

    A gentamicina, antibiótico aminoglicosídeo, é muitas vezes utilizada como antibioterapia profilática em cirurgia ortopédica. As reações adversas aos aminoglicosídeos são maioritariamente tóxicas, sendo a ototoxicidade e a nefrotoxicidade as mais comuns.
    Marta Martins1, , Bárbara Cardoso1, , Rute Reis1, , Filipe Inácio1,

    Anafilaxia a proteínas do leite de cabra após indução de tolerância oral específica ao leite de vaca 2019 Vol.XXVII, nº2

    A alergia às proteínas do leite de vaca (APLV) é a alergia alimentar mais comum em idade pediátrica. Descrevem-se dois casos de doentes com APLV grave e persistente mediada por IgE que foram submetidos com sucesso a protocolo de indução de tolerância oral (ITO) específica às proteínas do leite de vaca e que na fase de manutenção da ITO desencadearam anafilaxia após contacto acidental com proteínas de leite de cabra, num caso 6 anos e no outro caso 2 anos após iniciarem ITO.
    Filipe Benito-Garcia,1, , Sofia Couto1, , Ângela Gaspar1, , Susana Piedade1, , Mário Morais-Almeida1,

    Imunoterapia sublingual ao látex e estudo de perfil alergénico – 3 casos 2019 Vol.XXVII, nº2

    A alergia ao látex afeta determinados grupos de risco com distintos perfis de sensibilização. O único extrato para imunoterapia sublingual ao látex (ITSL) é constituído essencialmente por proteínas Hev b 6 e Hev b 5. Descrevem-se três casos de anafilaxia ao látex (dois também com anafilaxia em contexto de síndrome látex-frutos) que foram submetidos a ITSL com sucesso
    Filipe Benito-Garcia1, , Ângela Gaspar1, , Inês Mota1, , Mário Morais-Almeida1,

    Eritema fixo induzido por naproxeno 2019 Vol.XXVII, nº2

    Doente do sexo feminino de 25 anos, saudável, refere erupção cutânea localizada na face, acompanhada de ardor, cerca de 6 horas após a ingestão de 500 mg de naproxeno. Apesar de várias tomas prévias, refere nas duas últimas tomas quadro semelhante ao atual, com hiperpigmentação residual nos locais afetados. Foi discutida a hipótese de testes epicutâneos, recusados pela doente.
    Joana Silva1, , Magna Alves-Correia2,

    Artigos Comentados 2019 Vol.XXVII, nº2

    A sensibilização alfa‑gal está associada a reações anafiláticas graves às carnes vermelhas. Desconhecem‑se os níveis de IgE específica (sIgE) que se correlacionam com maior risco desta alergia.
    Graça Loureiro, Natacha Santos, José Geraldo Dias

    Noticias 2019 Vol.XXVII, nº2

    noticias

    Normas de publicação 2019 Vol.XXVII, nº2

    normas, publicacoes

    Prémios da SPAIC 2019 Vol.XXVII, nº2

    Prémios

    Editorial 2019 Vol.XXVII, nº1

    A prestação de cuidados de saúde no horizonte da modernidade

    A abordagem prática da hipersensibilidade a meios de contraste é atualmente um dos grandes desafios na área da alergia medicamentosa, sendo muitas vezes necessário tomar decisões em curto espaço de tempo. Muitos são os atos em que o contraste é fundamental, como é o caso da tomografia a computorizada ou da angiograma coronária, verificando-se um reconhecimento e referenciação crescentes dos doentes com reações a meios de contraste, quer reações imediatas quer nã
    Joana Caiado

    Reações adversas a meios de contraste iodados 2019 Vol.XXVII, nº1

    Os meios de contraste radiológico iodados (MCRI) são os meios de contraste mais usados em radiologia e são cada vez mais utilizados na prática clínica. A ocorrência de reações adversas a MCRI é muitas vezes desvalorizada, podendo colocar o doente em risco numa posterior utilização ou, pelo contrário, sobrevalorizada, condicionando restrições desnecessárias. O reconhecimento precoce das reações adversas, assim como a sua fisiopatologia, fatores de risco, abordage
    João Marcelino1, 2, , Sara Carvalho3, 2, , Fátima Cabral Duarte3, 2, , Ana Célia Costa1, 2, , Manuel Pereira Barbosa3, 2,

    Testes intradérmicos e imunodots podem ser úteis no diagnóstico de alergia canina à carne 2019 Vol.XXVII, nº1

    Fundamentos: O diagnóstico de alergia alimentar em cães é geralmente realizado com recurso a dietas de exclusão e provas de provocação. Objetivos: Contribuir para a avaliação do valor diagnóstico de testes intradérmicos (TID) e de imunodots na alergia canina à carne. Métodos: Onze cães suspeitos de alergia alimentar seguidos em consulta externa de alergia foram submetidos a TID para os ácaros do pó e de armazenamento mais comuns, pólenes de gramíneas, carne de v
    Luís Lourenço Martins1, 2, , Isabela Esteves de Campos3, , Célia Miguel Antunes4, 5, , Ana Rodrigues Costa4, 5, , Ana Goicoa Valdevira6, , Ofélia Pereira Bento2, 7,

    Monitorização de esporos de fungos em Lisboa, 2014-2016 2019 Vol.XXVII, nº1

    Objetivo: Avaliar a distribuição dos esporos de fungos potencialmente alergizantes em Lisboa no triénio 2014-2016, caracterizar a sua prevalência na atmosfera e estudar a influência dos fatores meteorológicos nas suas concentrações. Métodos: Monitorizaram-se os esporos de fungos presentes no ar atmosférico de Lisboa entre 1 de janeiro de 2014 e 31 de dezembro de 2016. A amostragem foi efetuada através um captador Burkard Seven Day Volumetric Spore-trap®. Para identificaç
    Raquel Ferro1, 2, , Carlos Nunes3, , Irene Camacho4, , Miguel Paiva5, , Mário Morais-Almeida6,

    Protocolo clínico de abordagem das reações agudas de hipersensibilidade a meios de contraste em Imagiologia 2019 Vol.XXVII, nº1

    As reações adversas agudas não nefrotóxicas com meio de contraste ocorrem em cerca de 0,2% a 0,7% das administrações com contrastes iodados e em 0,24% a 0,07% com gadolínio, sendo as reações graves ainda mais raras1, 2 . Apesar de pouco frequentes, estas reações podem ser fatais, sendo necessário identificar fatores de risco prévios à administração de meios de contraste e estabelecer um algoritmo diagnóstico e terapêutico adequados.
    Cristina Lopes1, 2, , Catarina Tavares3, , Inês Rolla4, , Ernestina Gomes5,

    Proctocolite induzida por proteína alimentar em lactente sob aleitamento materno exclusivo 2019 Vol.XXVII, nº1

    A protocolite induzida por proteína alimentar é uma reação de hipersensibilidade não-IgE mediada, mais frequentemente desencadeada pela ingestão de leite de vaca ou soja mas também já reconhecida no contexto de aleitamento materno exclusivo. Pode manifestar-se nas primeiras semanas de vida e o seu diagnóstico constitui um desafio pela inespecificidade das manifestações clínicas, muitas vezes levando a intervenções médicas desnecessárias e invasivas.
    Carlos Escobar1, , Marta Moniz1, , Pedro Nunes1, , Clara Abadesso1, , Helena Loureiro1, , Anna Sokolova1, , Carolina Prelhaz2,

    Pustulose generalizada exantemática aguda 2019 Vol.XXVII, nº1

    A pustulose generalizada exantemática aguda é uma reação adversa cutânea grave. Pode ser causada por fármacos (90% dos casos, aminopenicilinas, sulfonamidas, hidroxicloroquina, anti-fúngicos), infeções víricas ou bacterianas. Clinicamente manifesta-se por pequenas pústulas estéreis de aspeto não-folicular, numa base eritematosa e pruriginosa, localizadas preferencialmente ao tronco e pregas cutâneas.
    Joana Pita1, , Rosa-Anita Fernandes1, , Carlos Loureiro1, , Ana Todo-Bom1,

    Notícias 2019 Vol.XXVII, nº1

    noticias, novidades

    Normas de Publicação 2019 Vol.XXVII, nº1

    Artigos Comentados 2019 Vol.XXVII, nº1

    TWENTY YEARS’ EXPERIENCE WITH ANAPHYLAXIS-LIKE REACTIONS TO LOCAL ANESTHETICS: GENUINE ALLERGY IS RARE

    A administração de anestésicos locais (AL) é, com frequência, seguida de reações sugestivas de anafilaxia, condicionando a suspeita de alergia. Porém, a demonstração de alergia IgE-mediada aos AL é rara.
    Graça Loureiro, José Geraldo Dias, Natacha Santos

    Prémios da SPAIC 2019 Vol.XXVII, nº1

    XL REUNIÃO ANUAL DA SPAIC 2019 Vol.XXVII, Supl. 1

    A prestação de cuidados de saúde no horizonte da modernidade

    Alergia: uma patologia da família, uma família de patologias