Revista Portuguesa de Imunoalergologia

Arquivo RPIATodas publicações


  • EDITORIAL 2010 Vol.XVIII, nº6

    qualidade, vós, aspectos
    Manuel Branco Ferreira

    Fotoalergia 2010 Vol.XVIII, nº6

    ARTIGO DE REVISÃO

    As alterações climáticas observadas nas últimas décadas, consequência de uma agressão ambiental progressiva, contribuíram amplamente para o aumento da exposição à radiação solar, actualmente menos filtrada pela camada de ozono. A radiação solar, de que depende a vida na Terra, é fonte de inúmeros benefícios para a saúde humana.
    Marta Salgado1, , Rute Reis1, , António Vinhas de Sousa1, , Elza Tomaz1, , Irina Dydenko1, , Andreia Ferrão1, , Fátima Ferreira1, , Filipe Inácio1,

    Imunoterapia específica subcutânea: A percepção dos doentes 2010 Vol.XVIII, nº6

    ARTIGO ORIGINAL

    Na rinite e/ou asma de etiologia alérgica, a imunoterapia específica (ITE) pode alterar favoravelmente a evolução natural da doença.
    Maria Amélia Spínola Santos1, , Leonor Viegas1, , Manuel Branco Ferreira1, 2, , Manuel Pereira Barbosa1, 2,

    Testes cutâneos por picada (TCP) na obstrução recorrente das vias aéreas (ORVA) equina 2010 Vol.XVIII, nº6

    ARTIGO ORIGINAL

    Embora dados recentes sugiram que a alergia possa desempenhar um papel importante na obstrução recorrente das vias aéreas (ORVA) no cavalo, à semelhança da asma na espécie humana, são necessárias avaliações mais objectivas para um maior rigor no diagnóstico.
    Paula Tilley1, , José Paulo Sales Luís1, , Manuel Branco Ferreira2, 3,

    Um caso de esofagite… 2010 Vol.XVIII, nº6

    CASO CLÍNICO

    A esofagite eosinofílica (EE) é uma doença inflamatória do esófago, emergente e de carácter crónico. A história natural não está, ainda, bem compreendida. Os mecanismos alérgicos têm sido cada vez mais implicados na etiologia desta doença.
    Filipa Sousa1, , Elisa Pedro2, , Ana Célia Costa2, , Teresa Pinto Marques3, , Paula Borralho4, , Manuel Pereira Barbosa2,

    Urticária ao frio – Caso clínico 2010 Vol.XVIII, nº6

    CASO CLÍNICO

    A urticária crónica ao frio divide -se em familiar ou adquirida e esta última em primária ou secundária. As manifestações clínicas variam de urticária localizada a choque anafiláctico com eventual morte
    Filipa Ribeiro, Isabel Carrapatoso1, , Eugénia Almeida, António Segorbe Luís1,

    Angioedema abdominal 2010 Vol.XVIII, nº6

    ALLERGYMAGE

    Mulher de 30 anos, com antecedentes pessoais de angioedema hereditário de tipo II, recorreu ao serviço de urgência, três dias após infecção respiratória alta, por início súbito de dores abdominais intensas, de tipo cólica, náuseas e vómitos, que não aliviaram após as medidas habituais
    Leonor Paulos Viegas1, , Ana Célia Costa1, , Manuel Branco Ferreira1, , Amélia Spínola Santos1, , Manuel Pereira Barbosa1,

    ELEVATED SERUM TOTAL IGE – A POTENTIAL MARKER FOR SEVERE CHRONIC URTICARIA 2010 Vol.XVIII, nº6

    ARTIGOS COMENTADOS

    Níveis elevados de IgE têm sido descritos em doentes com urticária crónica (UC), desconhecendo-se, no entanto, o seu significado.
    Ana Leblanc, Ana Reis Ferreira

    ÍNDICES ANUAIS 2010 Vol.XVIII, nº6

    palavras-chave, índice, artigo

    EAACI/GA2LEN Allergy School – “Lifestyle interventions in Allergy & Asthma” 2010 Vol.XVIII, nº6

    NOTÍCIAS

    EAACI Allergy School, XXXI Reunião Anual da SPAIC / XIV Congresso Luso-Brasileiro de Alergologia e Imunologia Clínica, Eleições para os corpos directivos da SPAIC – Resultados do escrutínio, Prémios SPAIC 2010, Curso “Alergia a Fármacos” – Funchal