Revista Portuguesa de Imunoalergologia

Arquivo RPIATodas publicações


  • Índice anual 2011 Vol.XIX, nº4

    ÍNDICES ANUAIS

    EDITORIAL, ARTIGO DE REVISÃO, ARTIGOS ORIGINAIS, CASOS CLÍNICOS,

    EDITORIAL 2011 Vol.XIX, nº4

    O presente número da nossa revista inicia-se com um importantíssimo documento elaborado por alguns colegas e que consiste numas normas de orientação prática em imunoterapia específica. Abordam aspectos que vão desde indicações até segurança, cuidados na administração e mesmo aspectos de custo-benefício.
    Luís Taborda Barata

    Normas de Orientação em Imunoterapia Específica 2011 Vol.XIX, nº4

    A imunoterapia específi ca com extractos alergénicos ou vacinação anti -alérgica é o único tratamento etiológico capaz de alterar o curso natural da doença alérgica, sendo no entanto essencial a selecção criteriosa dos doentes a submeter a este tratamento e dos extractos a utilizar para optimização do rácio custo//benefício.

    Validação de um questionário de rastreio de asma alérgica em crianças de idade escolar – Comparação com a fracção de óxido nítrico no ar exalado e testes cutâneos por picada 2011 Vol.XIX, nº4

    ARTIGO ORIGINAL

    Em estudos populacionais para rastreio de asma alérgica em crianças são necessários instrumentos válidos e simples.
    Teresa Vieira1, , João Almeida Fonseca1, 2, , Rui Silva3, , Linda Cruz4, , Ana Reis Ferreira1, , Ana Leblanc1, , André Moreira1, 2, , Maria Graça Castel -Branco1,

    Anafilaxia à maçã 2011 Vol.XIX, nº4

    CASO CLÍNICO

    As rosáceas são uma importante causa de alergia alimentar no Sul da Europa, sendo o pêssego o fruto desta família mais implicado em casos de anafilaxia. Descrevem -se dois casos clínicos menos comuns de anafilaxia a maçã
    Natacha Santos1, , Ângela Gaspar1, , Ângela Gaspar1, , Graça Pires1, , Mário Morais -Almeida1,

    Hipersensibilidade à clonixina. A propósito de um caso clínico 2011 Vol.XIX, nº4

    CASO CLÍNICO

    O aumento da frequência de reacções de hipersensibilidade a fármacos, nomeadamente a anti -inflamatórios não esteróides pouco utilizados na prática clínica, constitui um desafio constante na determinação dos métodos de diagnóstico mais úteis na investigação de cada caso.
    Teresa Moscoso1, , Marta Neto1, , Margarida Trindade1,

    Alergia ao látex na infância: Um fenómeno (in)esperado? 2011 Vol.XIX, nº4

    CASO CLÍNICO

    A alergia ao látex representa um importante problema de saúde, particularmente em grupos populacionais seleccionados, que se caracterizam por exposições frequentes e precoces a proteínas alergénicas da Hevea brasiliensis.
    Cristiana Couto1, , Elisa Mariño2, , Paula Alendouro3, , Águeda Matos1,

    NSAID -SENSITIVE ANTIHISTAMINE- -INDUCED URTICARIA/ANGIOEDEMA 2011 Vol.XIX, nº4

    ARTIGOS COMENTADOS

    Os anti -histamínicos (anti -H1) são medicamentos frequentemente utilizados no tratamento de doenças alérgicas e na urticária. Existe um amplo leque de reacções adversas atribuídas a estes medicamentos nas quais as reacções cutâneas são pouco frequentes.

    XXXII Reunião Anual da SPAIC 2011 Vol.XIX, nº4

    NOTÍCIAS

    Prémios SPAIC 2011, Estágio de alergia alimentar no Serviço de Alergologia do Hospital Universitário La Paz (Madrid)

    EDITORIAL 2011 Vol.XIX, nº3

    O presente número da RPIA começa com um artigo de revisão sobre padrões de citocinas Th1 e Th2 em doentes infectados pelo VIH neste número optou -se por privilegiar os artigos de revisão e concluímos com dois artigos comentados
    Luís Taborda Barata

    Mudança de padrão Th1 para Th2 e atopia em indivíduos infectados por VIH? Uma revisão das evidências actuais 2011 Vol.XIX, nº3

    ARTIGO DE REVISÃO

    A infecção pelo VIH tem efeiotos profundos a nível da imunidade celular, com repercussões em muitos sistemas do organismo e processos patológicos. O número de células T CD4+ diminui com a progressão da doença ligada ao VIH, mas linfócitos B produtores de anticorpos também ficam afectados. O estado de de activação celular B anormal associado ao VIH manifesta -se por hipergamaglobulinémia e pela presença de imunocomplexos e ainticorpos circulantes.
    Luís Taborda -Barata1, , Eric D. Bateman1,

    Avaliação da qualidade de vida em doentes com angioedema hereditário 2011 Vol.XIX, nº3

    ARTIGO ORIGINAL

    O angioedema hereditário (AEH) é caracterizado por episódios recorrentes de edema que envolve a pele, aparelho gastrintestinal e outros órgãos, sendo o edema laríngeo a consequência mais grave que exige tratamento imediato. Estão disponíveis muito poucos trabalhos no que diz respeito ao impacto da qualidade de vida (QV) no AEH.
    Sofia Luz1, , Joaquim Alves da Silva2, , Filipe Barbosa3, , Amélia Spínola Santos4, , Manuel Branco Ferreira5, , Manuel Pereira Barbosa6,

    Inovação na indução de tolerância oral específica em crianças com anafilaxia às proteínas do leite de vaca 2011 Vol.XIX, nº3

    ARTIGO ORIGINAL

    A alergia às proteínas do leite de vaca (APLV) afecta até 5% das crianças na primeira infância e mantém-se durante a segunda década de vida em até 20%. Nos casos de APLV persistente e grave o prognóstico é menos favorável,com elevada probabilidade de ocorrerem acidentes com alergénio oculto.
    Mário Morais de Almeida1, , Susana Piedade1, , Mariana Couto1, , Graça Sampaio1, , Cristina Santa -Marta1, , Ângela Gaspar1,

    Imunodeficiência comum variável em adultos e crianças: Correlação entre fenótipos clínicos e imunológicos 2011 Vol.XIX, nº3

    ARTIGO ORIGINAL

    A imunodeficiência comum variável (IDCV) é uma doença heterogénea caracterizada por infecções recorrentes e deficiência de anticorpos. Têm sido descritas várias classificações que correlacionam diferentes perfis imunológicos das células B e T com distintos fenótipos clínicos.
    Eugénia Almeida1, , Emília Faria1, 2, , Nuno Sousa1, , Tiago Carvalheiro3, , Sónia Lemos2, , Artur Paiva3, , António Segorbe Luís1,

    ESTIMATING THE ECONOMIC BURDEN OF FOOD -INDUCED ALLERGIC REACTIONS AND ANAPHYLAXIS IN THE UNITED STATES 2011 Vol.XIX, nº3

    ARTIGOS COMENTADOS

    A alergia alimentar afecta entre 4 a 6% dos adultos e 1 a 2% das crianças nos Estados Unidos e supõe a utilização de vários recursos de saúde (cuidados de saúde primários, serviços de urgência e internamentos). Até à data, desconhece -se o custo destas utilizações.

    Congresso Anual da Academia Europeia de Alergologia e Imunologia Clínica – 2011 2011 Vol.XIX, nº3

    NOTÍCIAS

    Decorreu de 11 a 15 de Junho de 2011, em Istambul, na Turquia, o congresso anual da EAACI. O evento contou com mais de 7900 participantes inscritos, de mais de 100 países diferentes.

    PRÉMIOS DA SPAIC 2011 Vol.XIX, nº3

    Regulamentos e Prémios SPAIC

    EDITORIAL 2011 Vol.XIX, nº2

    O actual número da nossa revista começa com um artigo de revisão acerca de vários aspectos dos testes de desgranulação de basófilos na área da alergologia, seguindo-se de dois artigos originais de elevado interesse prático e de dois interessantes casos clínicos e ainda inclui um artigo de homenagem ao Senhor Professor António Robalo Cordeiro.
    Luís Taborda Barata

    Estudo in vitro dos basófilos é uma ferramenta diagnóstica e de investigação útil em alergologia 2011 Vol.XIX, nº2

    ARTIGO DE REVISÃO

    O mecanismo imunológico subjacente às doencas alérgicas mediadas por IgE é a hipersensibilidade do tipo I, em que os mastócitos e os basófilos são as células efectoras. Esta reacção é reproduzida in vitro no teste de libertação de histamina e outros mediadores e no teste de activação dos basófilos. Estas são ferramentas muito úteis, não só no diagnóstico de diversas doenças alérgicas e seguimento de doentes submetidos a imunoterapia específica, mas também ao nível da in
    Alexandra Santos1, 2, 3, , Bernhard Gibbs4, , Alick Stephens1, , Victor Turcanu1, , Gideon Lack1,

    Testes epicutâneos a corticosteróides num período de dez anos 2011 Vol.XIX, nº2

    ARTIGO ORIGINAL

    A alergia de contacto a corticosteróides é rara, exigindo elevado nível de suspeição e experiência clínica na interpretação dos resultados dos testes epicutâneos no seu diagnóstico.
    Alexandra Santos1, , Pedro Andrade2, , Carlos Loureiro1, , Margarida Gonçalo2,

    Exposições acidentais na alergia alimentar 2011 Vol.XIX, nº2

    ARTIGO ORIGINAL

    A recomendação habitual no tratamento da alergia alimentar é a evicção completa, até à aquisição de tolerância. É importante perceber em que situações ocorrem falhas na evicção, de forma a orientar o melhor possível o doente com alergia alimentar
    Filipa Sousa1, , João Antunes2, , Maria João Paes3, , Marta Chambel2, , Sara Prates2, , Paula Leiria Pinto2,

    Necrólise epidérmica tóxica – Valproato de sódio e vancomicina? 2011 Vol.XIX, nº2

    CASO CLÍNICO

    A prevalência de reacções adversas a medicamentos (RAM) em doentes hospitalizados é estimada em 10 -20% e estas podem ser potencialmente fatais. A necrólise epidérmica tóxica (NET) é uma das apresentações de RAM mais severa, com baixa incidência mas mortalidade elevada.
    João Antunes1, , Sara Lestre2, , Andreia Gonçalves3, , André Borges3, , Regina Viseu4, , Isabel Baptista3,

    Síndrome de Sweet – Um diagnóstico inesperado? 2011 Vol.XIX, nº2

    CASO CLÍNICO

    A síndrome de Sweet, também designada por dermatose neutrofílica febril aguda, é caracterizada por febre, neutrofilia e lesões cutâneas eritematosas
    Patrícia Barreira1, , Daniela Malheiro2, , José Pedro Moreira da Silva3,

    EDITORIAl 2011 Vol.XIX, nº1

    Depois de vários anos à frente da nossa revista, o Prof. Manuel Branco Ferreira optou por deixar de ser o editor da RPIA, de forma a que se possa dedicar a alguns aspectos prementes da sua vida académica. O seu trabalho e o da equipa que reuniu foi notável, tendo servido para consolidar a revista, bem como para aumentar a sua qualidade científi ca e diversifi car a sua oferta temática.
    Luís Taborda Barata

    Abordagem da doença alérgica na gravidez 2011 Vol.XIX, nº1

    ARTIGO DE REVISÃO

    Cerca de um terço da população residente em Portugal sofre de doenças alérgicas e, não sendo as grávidas excepção quanto à probabilidade de manifestarem estas patologias, cabe frequentemente ao imunoalergologista o papel fundamental de diagnóstico, identificação dos factores desencadeantes e aconselhamento sobre a sua evicção e abordagem/tratamento de patologias que, quando mal controladas, podem ter importantes consequências negativas na mãe e/ou no feto.
    Mariana Couto1, , Mário Morais de Almeida2,

    Diagnóstico da doença alérgica em Portugal: Um estudo exploratório 2011 Vol.XIX, nº1

    ARTIGO ORIGINAL

    As doenças alérgicas, pela elevada prevalência e morbilidade, constituem um importante problema de saúde pública. A ausência de diagnóstico e de tratamento adequado tem sido uma realidade em todas as áreas da doença alérgica e representa dificuldades acrescidas para a qualidade de vida de quem sofre destas patologias.
    Mariana Couto1, , Mário Morais de Almeida1,

    Impacto do nível de urbanização no pólen de Chenopodium album: Morfologia e imunoquímica 2011 Vol.XIX, nº1

    ARTIGO ORIGINAL

    O pólen de Chenopodium album é abundante na atmosfera no fim do Verão e Outono sendo, portanto uma fonte potencial de aeroalergénios. Há evidências de que a prevalência e a severidade de doenças atópicas têm vindo a aumentar nas áreas urbanas.
    Raquel Sousa1, , Ana Paula Cruz2, , Helena Ribeiro1, , Ilda Abreu1, 3,

    Congresso da Sociedade Espanhola de Alergologia e Imunologia Clínica (SEAIC) 2011 Vol.XIX, nº1

    NOTÍCIAS

    XXXVII Congresso Brasileiro de Alergia e Imunopatologia (ASBAI) e XVI Congresso Latino -Americano de Alergia e Imunologia Clínica (SLAAI)

    CALENDÁRIO DE REUNIÕES 2011 Vol.XIX, nº1

    Data, Local, E-mail

    Abordagem Global da Alergia 2011 Vol.XIX, Suplemento

    SUPLEMENTO

    PROGRAMA